o dia da ira

As coisas tristíssimas,
o rolomag, o teste de Cooper,
a mole carne tremente entre as coxas,
vão desaparecer quando soar a trombeta.
Levantaremos como deuses,
com a beleza das coisas que nunca pecaram,
como árvores, como pedras,
exatos e dignos de amor.
Quando o anjo passar,
o furacão ardente do seu vôo
vai secar as feridas,
as secreções desviadas dos seus vasos
e as lágrimas.
As cidades restarão silenciosas, sem um veículo:
apenas os pés de seus habitantes
reunidos na praça, à espera de seus nomes.

Férias + TCC

Finalmente consegui pegar 2 semanas de folga do trabalho, pena não poder folgar de verdade como gostaria, pois estou aproveitando para finalizar o meu artigo de TCC. E a versão final deve ser entregue na próxima segunda-feira, espero que corra tudo bem 🙂

Por ora essa é a vista que me acompanha nesses dias:
Ambiente de testes de HA

xnxlinks #20081002

xnxlinks #!/bin/bash

abendou!

Na época em que trabalhei no HSBC tive contato com uma expressão curiosa, o tal do “o servidor tal abendou!”

Esclarecido o mistério 🙂

foo bar x fubar

http://en.wikipedia.org/wiki/Foobar
The term foobar is a common placeholder name, also referred to as metasyntactic variable, used in computer programming or computer-related documentation.

http://en.wikipedia.org/wiki/FUBAR
FUBAR is an acronym that commonly means “Fucked Up Beyond All Repair” (used to describe the state of some equipment) or “Fucked Up Beyond All Recognition” (used to describe a situation or scenario), which now exists in many variations. Although it originated in the US Armed Forces, its usage has spread to civilian environments.

Urban Terror & Linux

Tenho o Urban Terror 4.1 instalado em um Fedora Core 6, em ${HOME}/Games/UrbanTerror/, e vou compartilhar alguns ajustes que fiz aqui.

Antes de tudo, vá para o diretório onde instalou o jogo. No meu caso:
cd ${HOME}/Games/UrbanTerror/

Gerando logs

  • Diretório para os logs:
  • mkdir log
  • Script para jogar salvando logs:
  • [user@host UrbanTerror]$ cat <<EOF > play.sh 
    #!/bin/bash
    ./ioUrbanTerror.i386 >log/urt-`date +%Y%m%d-%H%M`.log 2>&1
    EOF
    [user@host UrbanTerror]$ chmod 755 play.sh
    

Para jogar, execute ./play.sh. Os logs serão gravados em formato texto em ./log/

Demos
Um bug bem simples que impede rodar os demos gravados: os demos são gravados em arquivos com maiúsculas e minúsculas, enquanto a rotina de tocar os demos espera arquivos com tudo em maiúsculas.

  • Criando link para o diretório de demos:
  • ln -s ${HOME}/.q3a/q3ut4/demos demos
  • Script para consertar os nomes de arquivos:
  • [user@host UrbanTerror]$ cat <<EOF > arrumademos.sh 
    #!/bin/bash
    cd demos
    for file in `ls *ut4* 2>-`
    do 
            mv -v ${file} `echo ${file/dm_68} | tr a-z A-Z`dm_68
    done
    EOF
    [user@host UrbanTerror]$ chmod 755 arrumademos.sh
    

Outros links úteis:

Mirror’s Edge, Breakdown

[Dicas-RFC] zzrfc (?)

Buenas, essa semana tivemos o caso do DNS:

Senhores,

Atenção, os anúncios abaixo são muito sérios. Se a sua instituição tem
um servidor prestando serviço de DNS recursivo você deve efetuar o
upgrade o mais rápido possível.

http://www.isc.org/index.pl?/sw/bind/forgery-resilience.php

http://www.microsoft.com/technet/security/Bulletin/MS08-037.mspx

As formas de mitigar este problema, agora implementadas no BIND e no
servidor da Microsoft, são discutidas em detalhes em um draft do grupo
dnsext no IETF [1].

Isso me levou a draft-ietf-dnsext-forgery-resilience-05.txt… e o que me chamou a atenção foi a seção de referências, todas para outras RFC’s.

E se existisse uma “Dicas-RFC”, possivelmente nos mesmos moldes da Dicas-L, acho que seria legal hein?

Outra idéia que pintou, sugerir para o Aurélio implementar um “zzrfc” nas funcoeszz 🙂

Bom, fui ao google e …

bad day at the office (compilation video)

« Older entries Newer entries »