pendrive bootável com DOS (útil para updates de BIOS, firmware)

Vou repassar uma dica que pode ser útil em alguma situação futura, tipicamente em casos de update de flash de BIOS de placa mãe.

Hoje (14/7/2011) eu precisei fazer um update desse tipo em um servidor SuperMicro, e inicialmente tentei uma dica passada pelo suporte da própria SuperMicro:

http://www.softpedia.com/get/System/Boot-Manager-Disk/BootFlashDOS.shtml

Testei com esse programa, usando uma máquina com Windows XP.
Porém, ao testar o boot via pendrive, não funcionou.

Pesquisei no google, e encontrei esse link:
http://www.adrenaline.com.br/forum/area-windows/181133-criando-um-pendrive-bootavel-do-ms.html

Através dele, baixei dois arquivos:
http://www.techpowerup.com/articles/34/images/SP27213.exe
http://www.techpowerup.com/articles/34/images/USBImage.zip

E o procedimento funcionou com sucesso.

TeamSpeak + Linux + Urban Terror

O TeamSpeak é um software VoIP muito útil para comunicação entre grupos, é muito usado para conversações entre times/clans em jogos on-line.
Meu objetivo era utilizá-lo em jogos com meu clan de Urban Terror.
No Linux, tive problemas para utilizá-lo em conjunto com o jogo, pois ele usa OSS, e não misturava o som dele com o som do jogo (ou de outros aplicativos que usam a placa de som).

Usando o arts, cheguei a uma solução intermediária, conseguia pelo menos ouvir o som do TeamSpeak (TS) durante o jogo, iniciando-o via artsdsp, porém o microfone não funcionava.

A gambiarra que resolveu por enquanto foi o aoss, que permite aplicações legadas usarem OSS através do ALSA.
Fiz assim:

  • Instalação do pacote (Fedora):
  • yum install aoss

  • Modifiquei o script original do TS para usar o aoss:
  • [user@host dir] cat /opt/TeamSpeak2RC2/TeamSpeakalsa
    #!/bin/bash
    export LD_LIBRARY_PATH=/opt/TeamSpeak2RC2:$LD_LIBRARY_PATH
    aoss /opt/TeamSpeak2RC2/TeamSpeak.bin $*

  • Inicio o TS pelo comando:
  • /opt/TeamSpeak2RC2/TeamSpeakalsa

  • Nas configurações do TS, coloquei para usar “push to talk”, e mapeei a tecla de ativação para o CAPS LOCK. Sem fazer isso, e deixando ele pra ativar a transmissão de voz pelo nível de som do microfone, não funcionou direito: não importam as regulagens de volume tanto do sistema quanto do TS, fica sempre ativado. Anteriormente tinha tentado mapear a tecla de ativação para o End (que fica entre o teclado normal e o teclado numérico), mas não funcionava durante o jogo.

xnxlinks #!/bin/bash

bash regex

# sh bashre.sh 'aa(b{2,3}[xyz])cc' aabbxcc aabbcc
regex: aa(b{2,3}[xyz])cc

aabbxcc matches
capture[1]: bbx
aabbcc does not match

Um artigo bem legal sobre uso nativo de regex em bash, com um script de exemplo 🙂

Ref.:

bmon, monitoramento de link em modo texto

Estava trabalhando essa semana com o mon, e ao fazer um yum list "*mon*" tinha um tal de bmon. Fui ver o que era, e descobri que é um monitor de uso de link em modo texto.

“bmon is a portable bandwidth monitor and rate estimator running on various operating systems. It supports various input methods for different architectures. Various output modes exist including an interactive curses interface, lightweight HTML output but also formatable ASCII output.”

Acabei instalando (na máquina com CentOS em que estava trabalhando) para ver, e gostei. Para instalar no Fedora, baixei o fonte do repositório do dag e reconstruí o pacote.

Um screenshot dele em ação:
bmon at xnxlabs

mv foo.wordpress.com bar.wordpress.com

Pesquisando como mudar a URL do blog no wordpress.com…

Opções -> domínios …

Links úteis Fedora 8

Editando UTF8 no vim

Para editar arquivos em UTF8 no vim

vim -c "set encoding=utf8" -c "set termencoding=iso-8859-1"

ou…

[user@host ~]$ cat bin/vim-utf8
#!/bin/bash
vim -c "set encoding=utf8" -c "set termencoding=iso-8859-1" "$@"